quarta-feira, maio 27, 2009

Biografia de formando (quem meus amigos dizem que sou)

Formando da turma de 2005 (de tras pra frente rs)

O Guto chegou de mansinho, como quem não queria nada. Nem no trote apareceu. Mas logo nas primeiras aulas com suas opiniões, já se mostrava um cara inteligente e pitaqueiro. Até que fez amizade com uns “malucos” que fundaram a Panela. Assim, partilhamos sonhos, expectativas e histórias. Nossas reuniãozinhas eram sempre regadas de muitas gargalhadas, aliás, em especial a sua gargalhada é única, inconfundível: sempre com uma piadinha ou resmungando. Era sempre bom assistir aulas lado dele, difícil era prestar atenção.

Antes apelidado de Cavalo de Fogo, assumiu os cabelos brancos. Virou o Geada. Nunca esqueceremos do dia em que o Guto chegou em sala com os cabelos grisalhos. Nesse momento tudo se esclareceu: achávamos que ele pintava os cabelos por prazer (o que a gente achava muito estranho). Rapaz debochado até sem perceber, teve a petulância de desmontar um celular durante a aula do professor mais bravo do curso sem causar qualquer irritação no homi.

A primeira vista, o Guto é extremamente sério, mas é só abrir a boca que lá vem zoação. Ninguém imagina que um ouvinte fiel do Los Hermanos pode ser tão alegre. É o melhor amigo do Google. Adora roupas em tons neutros, conhece todos os vídeos do youtube e canta no coral fazendo as maiores caras e bocas. Apesar da cabeleira branca, é super cabeça aberta e descolado. Sobretudo, o Guto é um cara sempre interessado nas pessoas, esteve ao lado daqueles que mais precisaram dele, até o ultimo momento. Ganhou fama por escutar as lamentações dos seus amigos bizarros. O terceiro andar do PVB que o diga: juntos, escorregamos no chão feito criança, derramamos lágrimas de agonia, e principalmente ficamos contemplando as bênçãos estéticas que Deus foi capaz de presentear o mundo.

Ao mesmo tempo, desenvolvia a sua “vida pastoral” na ABU. O Bianch conseguia se abrir para a vida universitária sem perder os seus valores, o que fazia admirados. Seu envolvimento com a ABU rendeu muita coisa, pois daí começou a criar uma amizade intensa com a Bárbara. Os Frávios incentivaram desde o início, mas a resposta dele era sempre a mesma: "É Amizade". O resultado já sabemos: o nosso amigo trocou o Bar do Leão pela casa da Bárbara e a companhia dela, deixando toda a panela feminina para trás.

E assim o Guto foi vivendo. Aprendendo, apesar dos cabelos brancos, que era possível conciliar a “alegria das coisas do mundo” com o “servir a Deus”. Sendo aquele amigo com o qual podíamos conversar sobre os temas mais profundos da vida e que sabíamos que nos despertaria para um olhar mais sensato sobre nossas decisões. Encanta-nos a cada dia com o resultado da união de contrastes que o fazem tão especial: a sensibilidade e a seriedade, a humanidade e o que há de sublime. Pessoa rara no mundo.


Escrito por: Luana, Talita, Luiz, Babi, Paulo, Mazinho, Raissa, Lucas, Jayme e João Henrique

segunda-feira, maio 11, 2009

Mesmo inspirando profundamente a "Inspiração" não vem.
Respiro, expiro, espirro e...
nada!
Vem apenas a reticente dúvida do que escrever.

É a sindrome da vontade de querer.